Portal 135

Trip to Origin do Sebrae aproxima consumidores e artesãos

29/05/2019

Lojistas de seis estados visitaram artesãos do Vale do Jequitinhonha e Norte de Minas em roteiro criado para valorizar produção local

Resultado de imagem para Trip to Origin do Sebrae aproxima consumidores e artesãos 

Após sete dias na estrada percorrendo municípios do Vale do Jequitinhonha e Norte de Minas, chegou ao fim, no último domingo (27), em Pirapora, o Trip To Origin de artesanato. A inciativa foi uma parceria entre o Sebrae Minas, o Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e o Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene).

 

A Trip foi uma ação dentro do Brasil Original - projeto do Sebrae que promove a aproximação entre grandes consumidores e os artesãos da região – e contou com a participação de 16 pessoas, sendo 13 lojistas dos estados de São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Alagoas e Distrito Federal.

 

“O formato do projeto permite a interação entre compradores e artesãos. É uma experiência única e uma maneira de incentivarmos o reconhecimento do território como produtor do artesanato. Queremos valorizar a identidade e a cultura da região, além de gerar novos negócios para os artesãos”, ressalta a assistente do Sebrae Minas, Amanda Guimarães, que acompanhou a trip.

 

Pirapora, às margens do Rio São Francisco e conhecida pela fabricação das tradicionais carrancas de madeira, foi a última cidade a receber os lojistas. “Orientamos os artesãos sobre a importância de conhecer o perfil dos lojistas, produzir peças suficientes para atender a demanda e buscamos o apoio do poder público municipal, ADESP, agente de desenvolvimento e Feirarte. Agora vamos trabalhar o pós-vendas e o conceito de relacionamento, a fim de que os artesãos fidelizem esses novos clientes, além de continuarmos com o trabalho de design de identidade cultural e   design de produção. A visita foi fundamental para encorajar os artesãos a continuarem produzindo”, ressalta a analista do Sebrae Minas, Kátia Leite.

 

Para o artesão Gelson Xavier dos Santos, a visita dos lojistas contribuiu para ampliar as oportunidades de negócios. “Além de ganharmos novos clientes, eles nos deram dicas e orientações sobre pintura e acabamento das peças. Assim, além de aprimorar nossos produtos, vamos conseguir atender às exigências do mercado”, enfatiza.  Gelson destaca ainda que os trabalhadores da Associação dos Artesãos de Pirapora venderam várias peças durante visita. “Vendi oito carrancas grandes de madeira e várias outras menores, além de ter recebido outras encomendas que já estou produzindo”, completa.

 

Itinerário

Os participantes da expedição conheceram a produção artesanal dos seguintes municípios:

  • Diamantina e entorno: grupos de divinos em madeira (Datas), Sempre Vivas (Galheiros), Capim Dourado (Presidente Kubitscheck) e bambu (São Gonçalo do Rio das Pedras);
  • Campo Buriti, Coqueiro Campo e Minas Novas: grupos de cerâmica de tradição;
  • Chapada do Norte: associação de artesãos que produzem móveis e instrumentos musicais utilizando couro e madeira;
  • Berilo: grupos de tecelagem e bordado;
  • Caraí, Santa do Araçuaí e Taiobeiras: grupos de cerâmica de tradição;
  • Grão Mogol e Botumirim: grupos de tecelagem;
  • Capitão Enéas: esculturas em madeira;
  • Pirapora: carrancas e benjamins de madeira