Portal 135

Nutrição e saúde de animais de criação é tema de simpósio no campus da UFMG

28/11/2017

Nutrição e saúde de animais de criação é tema de simpósio que inicia hoje no campus da UFMG em Montes Claros
As palestras, com foco principal em suínos, aves, peixes e pets, reúnem especialistas da universidade e da iniciativa privada

Boa alimentação e saúde equilibrada são parte importante dos cuidados para que a criação de animais renda bons resultados aos produtores rurais. Inovações, pesquisas e tecnologias vêm sendo desenvolvidas pela indústria e pelas universidades, visando melhorar a eficiência das diversas etapas da cadeia produtiva. Para ampliar o debate sobre o assunto, o Instituto de Ciências Agrárias, campus regional em Montes Claros da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), realiza um simpósio e um workshop nesta semana. O evento é gratuito e reunirá cerca de 200 participantes para palestras e debates com especialistas. 

Com a participação de representantes de empresas do ramo e pesquisadores, o evento propõe aproximar a universidade do mercado. Esta será a primeira edição do Simpósio Internacional de Monogástricos e a quinta do Workshop de Zootecnia da UFMG. As atividades serão realizadas paralelamente nos dias 28 e 29 de novembro. A programação completa pode ser consultada no site da instituição. “A ideia é criar um evento em que os estudantes e a comunidade acadêmica possam ter acesso ao mercado, às inovações tecnológicas do mercado, e o que de mais moderno está sendo desenvolvido pelas empresas”, comentou Bruno Silva, professor do ICA e organizador do evento.

O professor explica que a parceria entre a universidade e a iniciativa privada contribui para o desenvolvimento de inovações que ampliem a eficiência da criação, assim como a melhoria da qualidade dos produtos oferecidos no mercado. “Toda pesquisa ou produto são desenvolvidos para maximizar o retorno econômico do produtor. Cerca de 70% do custo de produção de monogástricos [animais não ruminantes] é com alimentação. Então, se conseguimos melhorar em 1% a eficiência, através do uso de um aditivo ou de um nutriente, isso representa um retorno econômico para o produtor. Este tipo de trabalho, que a universidade faz junto com as empresas, tenta buscar alternativas ou soluções tecnológicas para aumentar a eficiência da criação animal”, comentou Bruno.
 
Ciência e mercado

Entre os assuntos apresentados durante o evento, estarão resultados de pesquisas sobre “impressão sensorial” na criação de suínos. O termo, utilizado pelos acadêmicos, se refere às memórias associadas a alguns sentidos, como cheiro e paladar. Uma pesquisa realizada no ICA demonstrou a eficácia da utilização de ingredientes na ração dos suínos, que contribui para a diminuição do estresse dos animais em fases de adaptação. 

“Uma mudança de fase pode causar um estresse, que leva ao impacto econômico na produção. Como o desmame, quando o leitão é separado da mãe e misturado com outros leitões. O que é feito é a criação de uma impressão sensorial, fornecendo um aditivo ou nutriente na ração da mãe, que é transmitido pelo leite. O leitão prova aquilo e cria uma memória. O mesmo componente, se utilizado na ração dele na etapa seguinte, vai ser associado com a maternidade, o que facilita e ameniza o estresse e o momento de adaptação ao desmame”, esclareceu o professor. Este resultado foi apresentado no Congresso da Associação Brasileira de Veterinários Especialistas em Suínos, realizado em outubro em Goiás.

Pesquisas como esta são desenvolvidas dentro do campus da UFMG em Montes Claros, que conta com uma fazenda experimental, onde são realizadas as atividades que simulam a criação animal de pequenos produtores. 

Outro tema que será abordado durante o evento é o mercado de grãos, frente às perspectivas globais. “Em outra pesquisa, estamos avaliando diferentes tipos de soja utilizados no mercado e a eficiência e digestibilidade do animal em aproveitar isso, no caso, com suínos. No final, os resultados dessas pesquisas nos permitirão definir melhor as estratégias nutricionais, ajustar as matrizes nutricionais de forma mais eficiente e aumentar o retorno econômico do setor”, completou Bruno.

A produção de aminoácidos industriais, a nutrição vitamínica, e a relação entre a nutrição e a imunidade também estão entre os assuntos apresentados. Durante os dois dias de evento, a universidade recebe seis palestrantes nacionais e três internacionais, entre professores de universidades federais, de um instituto federal e representantes de empresas do ramo. Após cada palestra, haverá uma mesa de debate com a moderação de professores da UFMG.

A expectativa é que alunos de diferentes universidades do Norte de Minas e de outras localidades participem como ouvintes, assim como produtores rurais e empresários da região.

Programação:

28/11, terça-feira:

14h: Abertura com o dr. Leonardo Tuffi Santos, diretor do ICA/UFMG

14h30 até as 16h20: Palestras e mesa de debate

16h45 até 18h15: Palestras e mesa de debate

29/11, quarta-feira:

8h até 10h30:  Palestras e mesa de debate

10h50 até 12h30: Palestras e mesa de debate

12h30: encerramento, com o dr. Bruno A. N. Silva, professor do ICA/UFMG



(Consulte o arquivo anexado: Pesquisas com suínos ICA - foto Amanda Lelis, UFMG-15.jpg)(Consulte o arquivo anexado: Pesquisas com suínos ICA - foto Amanda Lelis, UFMG-6.jpg)