Portal 135

Governador de Minas: votos válidos: Zema, 67%; Anastasia, 33%

23/10/2018

Nos votos totais, Romeu Zema, do Novo, tem 57%, e Antonio Anastasia, do PSDB, 28%. Pesquisa ouviu 1.512 eleitores de sábado (20) a terça-feira (23).

 

O Ibope divulgou nesta terça-feira (23) o resultado da 2ª pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição ao governo de Minas Gerais. O levantamento foi realizado entre sábado (20) e terça-feira (23) e tem margem de erro de 3 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

No levantamento anterior, Zema tinha 66% e Anastasia, 34%.

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Votos válidos segundo turno Minas Gerais — Foto: Arte/G1

Rejeição

 

A pesquisa também apontou o potencial de voto e rejeição para presidente. O Ibope perguntou: "Para cada um dos candidatos a presidente da República citados, gostaria que o(a) sr(a) dissesse qual destas frases melhor descreve a sua opinião sobre ele?". A soma supera os 100% por conta de arredondamento das casas decimais.

Romeu Zema

 

  • Com certeza votaria nele para governador - 42%
  • Poderia votar nele para governador - 20%
  • Não votaria nele de jeito nenhum - 14%
  • Não o conhece o suficiente para opinar - 23%
  • Não sabem ou preferem não opinar - 2%

 

Antonio Anastasia

 

  • Com certeza votaria nele para governador - 19%
  • Poderia votar nele para governador - 20%
  • Não votaria nele de jeito nenhum - 42%
  • Não o conhece o suficiente para opinar - 18%
  • Não sabem ou preferem não opinar - 2%

 

 

Avaliação do governo

 

O Ibope avaliou ainda o governo de Fernando Pimentel (PT). Segundo a pesquisa, a aprovação do atual governador de Minas Gerais é de 11%. O percentual reúne entrevistados que avaliam o governo como “bom” ou “ótimo”. A reprovação ficou em 54%, que reúne entrevistados que avaliam o governo como "ruim" ou "péssimo". Veja os números:

 

  • Bom ou ótimo: 11%
  • Regular: 28%
  • Ruim ou péssimo: 54%
  • Não souberam: 8%