Portal 135

Exposições no Museu Regional combinam arte com sustentabilidade

29/06/2018

A divulgação de trabalhos autorais, a partir de exposições itinerantes, é mais uma vez destaque no Museu Regional do Norte de Minas, administrado pela Universidade Estadual de Montes Claros. Até julho próximo, os visitantes poderão acompanhar a série de trabalhos dos artistas Fernanda Menezes, Ney Viana e Gilberto Gomes que combinam sustentabilidade com a arte autodidata. As visitas são gratuitas e para grupos dirigidos, como escolas do ensino médio e fundamental, é necessário o agendamento prévio, até mesmo para conhecer outros ambientes do MRNM.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

“SUSTENTABILID' ART”

Graduada em Biologia, com especialização em Meio Ambiente, Fernanda Menezes é de Divinópolis (MG) e residente em Montes Claros há dois anos. Ela leva ao público a exposição com o nome sugestivo “Sustentabilid'Art”, que combina sustentabilidade com o reaproveitamento de materiais descartáveis em peças de arte e decoração.

“Percebi que as pessoas ainda têm uma visão muito limitada sobre reaproveitamento e este universo para a reutilização de objetos e materiais descartados no dia a dia é bem mais abrangente do que reciclagem. Encontrei na decoração sustentável uma forma de passar esta mensagem”, disse Fernanda, que atualmente estuda Design de Interior.

Na exposição, por exemplo, a artista combina madeiras e revistas antigas na confecção de uma mesa de centro e a reutilização de peças descartadas na cozinha pelo excesso de uso como pequenos vasos para plantas como cactos e suculentas. Os móveis, como cadeiras e bancos feitos a partir de madeira de demolição, recebem pinturas em cores vivas e adereços como crochês, para utilização em ambientes domésticos ou mesmo profissionais. A mostra está aberta para visitação até o dia 9 de julho.

A imagem pode conter: comida

ANIMAIS

Os trabalhos assinados por Ney Viana têm como matéria-prima a madeira, que é esculpida e transformada em réplicas de animais. Alguns são típicos do cerrado norte-mineiro, como o tucano, onça-pintada e o tatu. São 11 peças autorais inspiradas na natureza. “O que você puder divulgar sobre a natureza, em especial os animais que precisam ser respeitados e preservados, é extremamente válido”, disse.

Ney Viana concilia a arte com a profissão de técnico em Enfermagem. Ele começou a fazer peças artísticas aos 14 anos, com papel. Além de animais, tem preferência em reproduzir carros antigos e esculturas inspiradas na história. A exposição no Museu Regional conta, ainda, com réplica de cobra, águia, arara, porcos e seriema.

A imagem pode conter: mesa

PEDRA

Pequenas esculturas em giz escolar, aos sete anos de idade, foram os primeiros sinais do talento autodidata de Gilberto Gomes. Décadas depois, as técnicas continuam próprias, mas ainda mais refinadas, para transformar pedra em esculturas. O artista montes-clarense leva ao público do museu 35 peças, que têm como matéria-prima a pedra-sabão, bastante comum nas cidades históricas de Minas, como Diamantina, Congonhas e Ouro Preto.

O visitante poderá ver a reprodução de animais, especialmente aves, rostos, mitos, como extraterrestres, e símbolos históricos, como os faraós egípcios. Além do formão, Gilberto utiliza ferramentas criadas por ele mesmo para a definição de traços nas esculturas. Cada peça pesa, em média, dois quilos. A exposição ficará à disposição para visitas até 23 de julho.

SERVIÇO

Exposições: ““Sustentabilid'Art”, “Pedras em Escultura” e “Animais”

Autores: Fernanda Menezes, Gilberto Gomes e Ney Viana

Funcionamento: terça à sexta: 8 às 18 horas

Sábados: 8 às 12 horas

Domingos: 8h30 às 12h30