Portal 135

Caos no Ipsemg vai ser discutido em audiência pública

22/02/2018

O deputado estadual Carlos Pimenta voltou a manifestar sua indignação com relação ao tratamento dado à saúde pública em Minas Gerais. Desta vez, o grande descaso é com os servidores do Ipsemg, sem atendimento em vários hospitais, pela falta de pagamento por parte do Estado. Durante reunião da Comissão de Saúde, nesta quarta, 22/02, na ALMG, o parlamentar foi enfático ao denunciar que o Governo do Estado está descontando na folha do servidor 3,2% mas não está repassando os recursos aos hospitais, gerando com isso o encerramento no atendimento ao usuário. “O servidor não está pedindo nenhum favor. Só quer o que lhe é de direito”, lembra o presidente da Comissão, deputado Carlos Pimenta. De acordo com o parlamentar, a estrutura do Ipsemg ruiu. “Estamos vendo um fim melancólico de uma administração da saúde em Minas Gerais que não teve condições de sequer manter o custeio, de manter convênios com hospitais e clínicas conveniadas por falta de pagamento. As consultas estão comprometidas, a fila por uma cirurgia eletiva não anda, os hospitais conveniados por falta de pagamento. As consultas estão comprometidas, a fila por uma cirurgia eletiva não anda, os hospitais conveniados estão suspendendo o atendimento”, afirmou Carlos Pimenta. Atualmente, segundo denúncias de representantes da Coordenação Intersindical, que reúne membros de sindicatos dos servidores de Minas, 7 mil pessoas aguardam na fila por uma cirurgia eletiva e só consegue quem aciona a Justiça e obtém um mandado de segurança. Em Belo Horizonte, os hospitais Luxemburgo e Vera Cruz já suspenderam o atendimento aos servidores públicos e seus familiares, por falta de repasses do governo petista. O mesmo está ocorrendo em unidades hospitalares de diversas cidades, entre elas, Montes Claros, Varginha e Extrema. Com o calote, laboratórios e clínicas conveniadas também estão se recusando a manter o atendimento. Audiência pública A situação caótica do Ipsemg, gerada pela falta de repasses de recursos do governo de Fernando Pimentel, será discutida em audiência pública na Comissão de Saúde na próxima quarta-feira (28/02), às 9 horas. Os parlamentares querem debater a suspensão do atendimento em hospitais e do Cartão Medicamentos, a fila de espera por uma cirurgia eletiva, a falta de insumos e as precárias condições de trabalho, problemas que afetam a saúde de milhares de servidores e de seus familiares. Um dia antes, na terça-feira (27/02) às 10 horas, os membros da comissão vão visitar o Hospital Governador Israel Pinheiro, em Belo Horizonte, mais conhecido como Hospital do Ipsemg. Os parlamentares querem verificar in loco os impactos da falta de investimentos e recursos para custeio por parte do governo petista.