Portal 135

Caminhoneiros viram heróis e seleção Brasileira fica esquecida

28/05/2018

Resultado de imagem para paralisação caminhoneiros

Pela primeira vez em um Copa do Mundo os jogadores da seleção brasileira perdem o status de notáveis, caminhoneiros de todo o Brasil foram eleitos pela população os novos heróis nacionais e isso assusta a Rede Globo, que investiu alto para fazer a população esquecer dos abusivos preços da gasolina, dos consecutivos reajustes no valor da conta de energia, dos hospitais abarrotados de doentes e faltando médicos e remédios, da corrupção sistêmica em todas as áreas, da violência generalizada, do alto índice de desemprego e tudo mais que vem tornando a vida do brasileiro em um interminável pesadelo.

O governo não soube dimensionar a capacidade de mobilização e de resiliência dos caminhoneiros, esqueceram que ficar fora de casa por quinze dias passando por privações e necessidades é o normal na vida desses cascas grossas. Usando da não violência pararam um país e deixaram o já enfraquecido governo de joelhos, que agora no desespero faz uso de armas e ameaças para tentar solucionar um problema que eles mesmos criaram.

O Exército, como um animal à espreita para atacar a qualquer momento vê nesse movimento a oportunidade de intervir e colocar ordem no País.

Está tudo por um fio, a mobilização pode se desfazer a qualquer momento, o governo pode utilizar da força para reprimir a greve, o Exército pode intervir a qualquer instante e a população, que é a maior das forças, pode ir para rua e exigir seus direitos. Vamos esperar as próximas horas para ver o final desse momento histórico, onde os heróis do futebol ficaram em segundo plano, os diplomados da OAB se omitem, os meios de comunicação se desesperam por além de perder o noticiário futebolístico, são impedidos de mostrarem as manifestações e convidados a se retirarem. A decisão está nas mãos do povo, podemos esperar que os caminhoneiros ou exército resolvam nossos problemas, ou ao invés de ficarmos entrincheirados e acovardados, nos colocarmos de pé e a ordem assumindo nossas posições e enfrentando com galhardia esse convite que a história nos faz.  

Evandro Colen