Portal 135

Anastasia afirma que quer ser o governador da reconstrução de Minas

23/08/2018

O candidato ao governo do Estado pela Coligação Reconstruir Minas, Antonio Anastasia, se reuniu nesta quarta-feira (22/08) com dezenas de prefeitos de todas as regiões do Estado para ouvir as dificuldades enfrentadas pelos municípios, que estão sofrendo as consequências da retenção, por parte do governo petista, de recursos constitucionais como o ICMS e o IPVA, e de repasses para a saúde e o transporte escolar. A dívida hoje do governo com as prefeituras já atinge a estrondosa cifra de R$ 8,1 bilhões, de acordo com a Associação Mineira de Municípios (AMM).
 

No encontro com os prefeitos, Anastasia reforçou que não fará uma campanha baseada em promessas e que, com sua experiência de 35 anos na administração pública, está capacitado a conduzir a reconstrução do Estado, caso os mineiros assim desejem.

 

“As pessoas sabem que não há condições de fazer promessas. A não ser uma, de muito trabalho, dedicação e empenho para consertar Minas Gerais e reconstruir o Estado. Eu estou me candidatando porque acredito, pela experiência que tenho, pela equipe que eu tenho condições de vir a formar, pela convergência das parcerias, que terei condições ao longo do mandato de restabelecer o básico que os prefeitos tanto clamam, restabelecer a normalidade ao funcionamento do Estado”, afirmou.

 

O candidato pela Coligação Reconstruir Minas ressaltou ainda que, enquanto governador, sempre teve especial atenção com os pequenos municípios mineiros. “Fiz um governo muito voltado aos municípios, especialmente os menores. É muito importante ajudar aqueles de pequeno e médio porte, dar infraestrutura, pois assim você ajuda as pessoas que estão lá a ter a oportunidade de escolher, seguir a sua vida lá ou ir para uma cidade maior. Mas tem que ter essa oportunidade, caso contrário, o cidadão se vê quase obrigado a sair para melhorar de vida”, salientou Anastasia.


Apoio crescente em Minas Gerais

Anastasia se alegrou com o apoio recebido pelos prefeitos e se mostrou otimista em relação ao crescimento deste apoio. “Só hoje recebemos 40 prefeitos. Mas eu estimo que dos 853 prefeitos de Minas Gerais, nós devemos ter o apoio de pelo menos 600 prefeitos. Porque nós temos o apoio muito expressivo daqueles que estão hoje contrários ao governo do Estado. E acho que vai chegar a um número bem maior quando a campanha se avolumar. Porque é difícil hoje encontrar um prefeito que esteja apoiando o governo. Até os do PT estão apresentando críticas a essa gestão”, afirmou.