Portal 135

Agostinho Patrus garante repasses em apoio a Brumadinho

22/02/2019

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais anunciou que a Casa vai trabalhar para garantir recursos ao município

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Agostinho Patrus (PV), se reuniu com o prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo (PV), conhecido como Neném da Asa, para discutir a situação e as necessidades do município impactado pelo rompimento da Barragem B1 da Mina Córrego do Feijão, da mineradora Vale.

O prefeito pediu apoio dos deputados para reerguer a cidade. Segundo ele, a primeira preocupação é com as famílias das vítimas, que ainda buscam seus parentes. “Mas também tem a preocupação com a sobrevivência econômica do município, 80% da nossa receita vinha das operações da Vale”, ressaltou.

Patrus garantiu que a ALMG enviará ofício ao Governo do Estado solicitando que todos os repasses devidos ao município de Brumadinho sejam pagos imediatamente. O presidente ainda afirmou que será apresentado um projeto que imponha à Vale a transferência à Prefeitura de Brumadinho de 50% da multa aplicada pela Justiça e pelo Ibama à mineradora, de um total de R$ 450 milhões.

A ideia é que a sugestão seja anexada ao PL 3676/16, em discussão na ALMG, que dispõe sobre a operação de mineradoras no Estado. Pela proposta, toda cidade em Minas Gerais afetada pelas atividades de mineração terão direito a receber diretamente, sem intermédios, metade das multas destinadas ao Governo do Estado.

De acordo com Agostinho Patrus, a ALMG também solicitará ao Governo e ao Ministério Público que a prefeitura de Brumadinho tenha participação garantida em todas as mesas de negociação sobre as ações de reparação de danos referentes à tragédia.

Fechamento de outras mineradoras aumentou crise no município

Segundo Alvimar de Melo, o Museu de Inhotim, que recebia mais de seis mil pessoas por fim de semana, no último sábado recebeu apenas 250 visitantes. Até os alunos das faculdades locais estão pedindo transferência para Belo Horizonte.

O prefeito pediu ajuda da Assembleia para que as decisões do Ministério Público Estadual referentes às outras mineradoras sejam revistas, uma vez que não apresentam risco iminente, nem foram vistoriadas antes de serem fechadas.

Diante da tragédia ambiental, social e econômica, todos os presentes à reunião concordaram que Brumadinho precisa criar outras alternativas econômicas, além da mineração. “A cidade não tem nem um distrito industrial, nós nos acomodamos, ficamos totalmente dependentes das mineradoras”, disse o prefeito Neném. 

Buscando auxiliar Brumadinho e ajudar na reestruturação da cidade, o Sebrae já garantiu uma verba de R$ 2,4 milhões para apoiar micro e pequenos empreendedores do município.