Portal 135

A eleição que a OAB/MG perdeu!

25/11/2018

Deu Chapa 1! Ops... Deu chapa 2!

Em um dos momentos mais tristes da existência da OAB/MG, ontem, a instituição mostrou sua fragilidade, despreparo e falta de compromisso com a transparência. A sociedade que sempre teve um pé atrás com a classe, recebeu na noite de ontem o carimbo da própria instituição. Na contramão de tudo que vem acontecendo no país nos últimos meses, a OAB/MG fez tudo diferente do que vinha cobrando das instituições responsáveis pelas apurações das eleições nas ultimas campanhas eleitorais no Brasil. A página da OAB, responsável pela informação do andamento da contagem dos votos, apresentava um link onde direcionava para o painel de apuração, diga-se de passagem, ridículo, sequer apresentava a porcentagem de votos apurados.

Em uma eleição acirradíssima, o placar se alternava de tempos em tempos e mostrava que até o terceiro colocado tinha chances reais de uma aproximação, até o momento em que a mesa composta pela comissão responsável da divulgação do resultado anunciou a vitória da Chapa 1, encabeçada por Dr Sérgio Murilo. Após o anuncio, a emoção e a comemoração tomaram conta da galeria que estava sendo ocupada pelos apoiadores da Chapa 1 Vanguarda, momento em que Dr Sérgio proferiu seu discurso de vitória (vide vídeo). Segundo informações de pessoas que compunham a Chapa Vanguarda, e estavam ao lado do Dr Sérgio, confirmaram que o mesmo recebeu ligação da diretoria das Chapa 2 e Chapa 3, parabenizando-o pela vitória. Tempos depois, Dr Sérgio recebe um telefonema da comissão apuradora de que a oposição teria pedido recontagem dos votos, haja visto, a diminuta diferença. Em seguida, a mesa responsável pela apuração informa e confirma a Chapa 2 OAB Mais Forte, como a atual vencedora da disputa pela presidência da OAB/MG, indicando oficialmente o nome do Dr Raimundo Cândido Júnior como candidato eleito.

Enquanto a comemoração trocava de lado, gritos de corrupção e vergonha eram ouvidos por todos os lados, proferidos por advogados que acompanhavam a apuração na sede da OAB/MG, tantos outros usavam suas páginas de redes sociais e grupos de whatsaap para mostrarem a sua indignação, não somente pelo resultado final, mas pela forma da condução de todo o processo. Vários foram os relatos de advogados que se sentiram coagidos e invadidos pela ferrenha boca de urna efetuada pelos militantes da chapa 2, todos eles sabedores que a ação é totalmente proibida, ferindo as leis eleitorais.

Em um momento em que o país está sendo passado a limpo, a sociedade e todos associados desta sublime instituição esperam nos próximos dias uma resposta para este triste acontecimento, que marcará para sempre a história da OAB/MG.   

Evandro Colen